O Banco Central quer permitir a abertura de contas em dólares no Brasil. Segundo o diretor de regulação da entidade, Otávio Damaso, o objetivo é facilitar a rotina de importações e exportações, além de fortalecer a moeda brasileira e atrair negócios com outros países. A medida deve valer também para pessoas físicas, que teriam permissão para abrir contas em moeda norte-americana. No sentido inverso, o BC quer permitir contas em reais no exterior, na medida em que outros países demonstrem interesse.

“A mudança vai melhorar o ambiente de negócios no país, que ficará mais atrativo para empresários que fazem operações de câmbio, fintechs e investidores estrangeiros que enfrentam burocracias com o câmbio. A abertura de contas com dólares dará início a uma era mais moderna no Banco Central. As regras do câmbio brasileiro foram criadas nos anos 90 e é preciso renová-las”, avalia Raphael Zaroni, sócio-fundador do Zaroni Advogados.

A chamada “conversibilidade” total do real deverá ser possível daqui a dois ou três anos. Na prática, isso significa a possibilidade de qualquer agente, que more no Brasil ou não, de realizar trocas de moedas em transações comerciais de maneira direta, sem processos de registros e compensações por intermediários bancários. A permissão exige aprovação do Congresso Nacional.