O DREI em seu processo de desburocratização inovou com a nova IN 81. Esta simplifica e reúne as normas relacionadas ao processo de abertura, modificação e encerramento de empresas, além de remodelar a nomenclatura a fim de unificar todo o entendimento do departamento. Ao todo, foram 45 normas revogadas entre Instruções Normativas e Ofícios Circulares sobre os temas.

A IN 81 abrange a polêmica emissão de quotas preferenciais em sociedades limitadas, eis que reconhece expressamente a possibilidade de existência de quotas de classes distintas, que podem limitar o direito de voto, conforme a lei das sociedades anônimas. Ademais, reconhece que apenas as quotas com direito a voto serão contabilizadas para quórum de instalação e deliberação.
Além disso, a IN formaliza a dispensa do reconhecimento de firma e autenticações dos documentos levados a registro, podendo os advogados e contadores da empresa apresentar a declaração de autenticidade.
Outra alteração significativa refere-se ao nome empresarial, pois deixa de ser obrigatório a utilização da atividade no nome empresarial, além de poder ser realizada a inclusão de qualquer palavra nacional ou estrangeira em sua composição.
Ademais, adotando a jurisprudência do STJ, a IN permite a transformação de sociedades cooperativas e associações em sociedades empresárias.
A ampliação do registro automático configura-se como mais preocupação de agilizar o procedimento de registro pelas Juntas Comerciais pois, caso a sociedade utilize os modelos dos atos societários disponibilizados pelo DREI, o seu registro deverá ser feito de forma automática.
A IN 81 entrará em vigor no dia 1º/07/2020.