O presidente Jair Bolsonaro anunciou, no dia 24 de outubro, que cidadãos chineses não precisarão mais de visto para viajar ao Brasil. O governo brasileiro, no entanto, ainda não disse quando a medida entrará em vigor, e se haverá reciprocidade do procedimento para os brasileiros que queiram visitar a China. O foco da isenção será lazer e negócios.

De acordo com a Embratur, a China tem cerca de 141 milhões de cidadãos viajando ao exterior anualmente. A estimativa é que, em 2030, esse número aumente e ultrapasse os 300 milhões.

“Atualmente, a China é um dos países com o maior número de turistas. Dessa forma, a isenção de visto promovida pelo governo federal denota uma tentativa de forte captação de viajantes e amplia a visibilidade do Brasil no mercado internacional”, analisa Bruno Zaroni.

A isenção de visto para a entrada de estrangeiros no país já está em vigor para cidadãos dos Estados Unidos, Austrália, Japão e Canadá, sem a reciprocidade para cidadãos brasileiros. De acordo com o governo, dados preliminares apontam o crescimento da entrada de turistas norte-americanos, canadenses e australianos em 25%.